Porque você deveria ser vulnerável!

Antes de escrever sobre “ser vulnerável”, como de costume,  busquei coisas que me inspirassem, como textos, imagens,  músicas, poemas e vídeos sobre o tema.

Vi algumas imagens assustadoras , vi textos e músicas onde a vulnerabilidade está associada a sofrimento, dor, vergonha, fraqueza e medo.

E percebi que em geral o que aprendemos e significamos sobre ser vulnerável, é que isso é algo muito ruim, sinônimo de fragilidade, algo que pode nos destruir! Poderá temermos tanto… O que se espera de nós é que sejamos fortes! Temos que resistir a tudo, ser inabaláveis, inatingíveis, impermeáveis, não é mesmo?

O que é Vulnerável:

Vulnerável é algo ou alguém que está suscetível a ser ferido, ofendido ou tocado.

Alguém que está “suscetível” a viver eu diria!

Resolvi refazer minha pesquisa, buscando coisas que simbolizam vulnerabilidade para mim, como um pássaro, um recém nascido, um filhote, as pétalas de uma flor ou uma bolha de sabão.

E o que encontrei em comum entre essas coisas, foi a leveza e a beleza da vulnerabilidade.

Ser vulnerável é uma condição humana, que nos expõe a possibilidade de sofrer, de fato, mas também é o que nos permite correr o risco de ser feliz, de criarmos coisas novas,  de escrevermos nossos pensamentos em um blog, de amar, de dizer “eu te amo” primeiro, de largar tudo e todos para morar em outro País, de deixar com que as pessoas nos toquem, de nos conectarmos de verdade com outras pessoas.

Podemos lutar contra a isso, nos endurecer, nos proteger, mas como diria Mano Brown, de que adianta ser Durão se o coração é vulnerável?

A vida é frágil e isso é o que a torna tão especial!

Hoje nasceram pessoas e morreram outras, e todos os dias são assim!

Negar essa nossa condição existencial nos torna prisioneiros de uma ilusão, de que podemos controlar a vida, prever todos os riscos, eliminar todo sofrimento,  que é tão fundamental para o nosso desenvolvimento e construção.

Por isso,  eu te convido e te desafio a abraçar sua vulnerabilidade,  a se proteger menos e a viver mais, a ter ousadia de se mostrar como se verdadeiramente é,  sem medo do que todo mundo vai pensar!

Então que tal re-conceituar a vulnerabilidade?

Ser vulnerável é ser livre, é ser leve, é ser humano, é ser criança, é ser corajoso, é SER!

Se esse texto te fez pensar em alguma coisa, se isso fez sentido para você, escreve pra mim,  sobre o que considera hoje suas maiores fragilidades, sobre as dificuldades em se jogar, seus medos. Vamos aprender juntos!

Compartilha e curte, para que isso alcance mais e mais pessoas, alguém certamente precisa muito disso aqui!

Curte minha página lá no face (https://www.facebook.com/Coach-e-Psic%C3%B3loga-Luana-Cezar-1586589984891448/?ref=settings) ou aqui no blog para receber os meus textos!

Gratidão meus desbravadores!

Com amor,

Luana Cezar

PS: se o assunto te interessou muito, tem uma palestra incrível: “o poder da vulnerabilidade” da Brene Brow. Vale a pena conferir.

VEJA TAMBÉM:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *