Sua família não precisa de você!

Mãe e filho ocupam um único espaço no mundo em média por 9 meses, depois do nascimento continuamos acreditando que a mãe é parte do nosso corpo, é a etapa da simbiose, somos um só! Aos poucos, vamos nos desenvolvendo e integrando como um ser individual.

Mas não tão individual assim, permanecemos parte do todo que chamamos família.Você pertence e depende dela e ela de você. O corte do cordão umbilical físico é indolor, tanto para mãe como para o bebê, mas na fase adulta de nossa vidas, isso pode doer!

Quando decidimos traçar nossos próprios caminhos, experimentamos o sentimento de despertencimento e uma tremenda insegurança. Para disfarçar e nos distrair dos nossos próprios medos e da nossa sombra, não olhamos para nós, pensamos em nossa família! (Genial, não é mesmo?).

Muitas vezes quem está segurando o cordão é você,  sem se dar conta! Você pensa no sofrimento que irá causar as pessoas que terão que suportar a sua distância, em como todo mundo vai se virar sem ter você ali por perto, na decepção que irá causar se não fizer o que esperam de você, que está dando as costas pra quem te ama e sendo egoísta… e por ai vai.

Na verdade talvez você esteja apenas com medo de perder o seu lugar  ou de enfrentar as coisas sozinho. E por isso alimenta a dependência do outro!

A verdade é que, sua família não precisa de você! Muitos deles já existiam antes de você chegar e viviam muito bem obrigado.. já pensou nisso?

Isso não significa que eles não te amem e te queiram perto, que você não tenha valor ou importância para eles ou que você vai deixar de fazer parte, significa apenas que hoje você pode ocupar o seu lugar, ir atrás dos seus objetivos e está tudo bem!

Quero compartilhar uma pequena reflexão:

“Sabe como a Águia ensina seu filhote a voar? A Águia faz o ninho bem no alto de um pico rochoso. Abaixo, somente o abismo e em volta o ar para sustentar as asas dos filhotes. A águia mãe empurra os filhotes para beira do ninho. Neste momento seu coração acelera com emoções conflitantes, pois ao mesmo tempo que empurra, sente a resistência dos filhotes em não querer ir em direção ao precipício. Para eles a emoção de voar começa com medo de cair. Faz parte da natureza da espécie. Apesar da dor a águia sabe que aquele é o momento, sua missão deve se completar, mas ainda resta a tarefa final: O Empurrão. A águia enche-se de coragem, ela sabe que enquanto seus filhotes não descobrirem suas asas, não entenderão o propósito de sua vida, enquanto não aprenderem a voar, não compreenderão o privilégio que é nascer águia, assim o empurrão é o maior presente que ela pode oferecer a eles. Então ela os precipita para o abismo e eles voam livres após descobrirem suas asas.”

Autor desconhecido.

Na vida real, você pode cair de cara no chão as vezes, faz parte… mas você também não está no alto de um precipício, isso significa que você irá sobreviver.

A Águia da história nem sempre é a nossa mãe, as vezes é a vida que nos dá esse empurrão.. mas ela sabe que você tem capacidade de voar!

Por isso é hora de ter sua própria opinião, saiber quais são os seus sonhos e fazer tudo por eles, corte o cordão umbilical e tudo mais que te prende!

Sua família ficará feliz em ver você VOANDO!

A emoção de voar, começa com o medo de CAIR! Siga em frente!

Se você gostou desse texto, me ajuda a compartilhar! Me escreve contando sua experiência, e se precisar de ajuda nesse caminho, conta comigo!

PS: Sugestão de música para leitura: Amanheceu (Scalene)

Gratidão,

sua parceira de Jornada

Luana Cezar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *