Como diminuir seu medo e tomar decisões!

b061141b42d0797f3f3ced36f41a37df

Já sentiu aquele medo que te congela? Acompanhado daquela voz interna, que te diz coisas do tipo: isso é muito arriscado! não vai dar certo! Pra que trocar o certo pelo duvidoso!  Você está fazendo uma loucura!  Você vai se arrepender!

Você sabe de onde vem essa voz que tenta te convencer a não mudar, não ir para outro País ou não voltar, mesmo que a vida não esteja boa, não se arriscar em um novo trabalho, não mudar de casa, não deixar aquele relacionamento que não te faz feliz há um tempão, porque vai que..

Existe uma parte no nosso cérebro chamado amígdala cerebral,  cérebro réptil ou como é utilizado na medicina, complexo-R,  isso não é algo metafórico,  existe mesmo, e é o que nos provêm a auto preservação,  provavelmente veio de herança dos nossos parentes pré históricos, que sobreviveram para perpetuar a nossa espécie,  eles corriam poucos riscos, e assim sobreviviam… Isso foi muito importante no passado, porque aqueles que se preservaram, garantiram que você estivesse aqui hoje, lendo esse texto!

Também é função dessa parte do nosso cérebro todas as funções orgânicas automáticas, por isso não precisamos pensar para respirar, digerir a comida, etc.

Mas o bônus nada grato desse danadinho é ser um grande aliado na autossabotagem!  Ele quer que você fique aí, bem paradinho onde está,  e pare de inventar moda de querem mudar sua vida! Vai que…

Bom agora você já sabe que esse medo que você sente, tem uma razão de ser, é só seu cérebro buscando garantir que você vai sobreviver! Acontece que não vivemos mais nas cavernas e essa proteção toda, é desnecessária!

E como eu faço para combater esse meu conselheiro interno cagão?

Utilizando outra parte do cérebro! O Neocortex que é responsável dentre várias coisas, por nossas escolhas conscientes, Ele é responsável pela lógica e que normalmente controla as nossa decisões e atitudes !

(Momento ah-ha!)

Então vou te dar uma dica, que ouvi de uma Coach maravilhosa que acompanho,  a Paula Abreu.

E a dica é: imagine o pior cenário, o que de pior pode te acontecer se você fizer isso aí que está querendo fazer, e reflita sobre isso, pare para pensar!

Nosso medo é alimentado do desconhecido,  isso da a munição que seu ego precisa para te dizer aquelas frases lá de cima sabe?

Quando visualizamos a situação,  muitas vezes nos damos conta de que nem era tão ruim assim! Jogue luz no seu medo!

E se de fato,  ao imaginar esse cenário, ver que existe um risco real de perigo para você, algo que vai acabar com sua vida completamente, e sem solução… Bom, ai fica mais fácil decidir, não é mesmo?

Vira e mexe no consultório,  faço esse exercício com meus pacientes, de imaginar aquilo que eles tanto temem e no final,  vem uma cara de alívio e a pergunta..mas como isso? Parece que meu medo passou…

Eu respondo assim:

A criança só teme o monstro,  até que você a convide a olhar debaixo da cama…

Viu só, não tem nada aqui!

Espero que esse texto te sirva como um holofote, que te ajude a fazer as perguntas certas e gerar coragem para as decisões que estão por vir!

Se isso te serviu, compartilha comigo!!! Vou adorar saber a sua história! Curte, comenta e compartilha, para que isso ajude a muitas pessoas!

Se você encontrar um monstro faça igual  a pequena Boo no Monstros SA, fique amiga dele, e ele já não vai te assustar mais!

Gratidão

Sua parceira de jornada,

Luana

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *